Upherb logo

Pesquisa

Manejo Químico

TRIFLURALINA

Eng. –Agr. Dr. Mauro Antônio Rizzardi Professor da Universidade de Passo Fundo, RS

2,6-dinitro-N,N-dipropyl-4-(trifluoromethyl(benzenamine) é uma molécula disponível para uso na modalidade de pré-semeadura incorporada ou em pré-emergência de diversas culturas, entre as quais o algodão, amendoim; cana, feijão, soja e trigo. As suas principais características podem ser visualizadas no Quadro 1.

Quadro 1 – Algumas propriedades físico-químicas da trifluralina
                       
Uso herbicida

Trifluralina é classificada no Grupo 03 (WSSA) e no Grupo K1 (HRAC), mecanismo de ação “Inibidores da formação de microtúbulos”.

Herbicida seletivo para o controle de espécies poáceas e de folhas largas com sementes pequenas (Quadro 2). Seu uso é em pré-semeadura incorporada ou em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas.


Quadro 2 – Plantas daninhas controladas com o herbicida trifluralina


*Produto comercial = Trifluralina Nortox Gold


Comportamento na planta

O herbicida trifluralina liga-se à tubulina, principal proteína componente dos microtúbulos (Figura 1). Ao se ligarem impedem a sua polimerização para formar os microtúbulos, os quais orientam os cromossomos durante a anáfase na mitose da região equatorial da célula para os pólos (Figura 2). Assim, durante a divisão celular não ocorre a divisão dos cromossomos e o resultado é a formação de células com número anormal de cromossomos (células multinucleadas).


Figura 1 – Representação da tubulina



Figura 2 – Representação da divisão celular e das fases inibidas pelo uso de trifluralina

Em espécies suscetíveis a germinação ocorre, porém, na maioria das espécies suscetíveis, não ocorre a emergência devido a inibição no crescimento do coleóptilo ou desprendimento do hipocótilo. A inibição do desenvolvimento das raízes é um dos principais sintomas em plântulas, especialmente pela redução no crescimento das raízes laterais e secundárias. As raízes ficam atrofiadas, com extremidades engrossadas. As gramíneas apresentam manchas arroxeadas na base das hastes, que também podem apresentarem-se enroladas. Em espécies de folhas largas há o engrossamento do hipocótilo e a formação de parte aérea deformada e suscetível à quebra.

A absorção ocorre principalmente pela parte aérea emergente, como coleóptilo das gramíneas e hipocótilo e coleóptilo das espécies de folhas largas, e, secundariamente pelas raízes das plântulas. Trifluralina é altamente lipofílica, o que a torna praticamente imóvel dentro da planta, pois fica adsorvida às membranas celulares, próximas ao local de entrada.


Comportamento no solo

Trifluralina está entre os herbicidas com mais baixa mobilidade que se conhece. Ficam altamente adsorvidos ao solo, especialmente em substâncias orgânicas, proteinaceas e lipofílicas. A sua adsorção é dependente do teor de matéria orgânica do solo. Isto deve ser considerado na dose aplicada (Quadro 2).

Devido ao seu elevado Koc é considerado imóvel no solo e baixo potencial de lixiviação. 


Considerações práticas

- Impede a emergência, mas não inibe e germinação das sementes das plantas daninhas.
- Dependendo da formulação pode ser volátil, sendo necessária sua incorporação logo após a aplicação. 
- A baixa solubilidade associada a elevada capacidade de se adsorver na palha diminui o contato do herbicida com o solo.     
- Condições de solo seco entre a aplicação e emergência da planta daninha resultam em controle inadequado.
- Chuvas após a aplicação  são necessárias para que o produto atinja o solo e atue no controle das plantas daninhas.


Bibliografia consultada

Weed Science Society of America. Herbicide Handbook. WSSA (Lawrence). Edição 10, 
2014. 513p.
 

CONTATO

Entre em contato conosco

O UP-Herb – Academia das plantas daninhas disponibilizará:

  • Palestras técnicas presenciais ou online
  • Webinars
  • Cursos de curta duração
  • Treinamentos e consultoria in loco