Upherb logo

Pesquisa

Manejo Químico

MESOTRIONA

Eng. –Agr. Dr. Mauro Antônio Rizzardi Professor da Universidade de Passo Fundo, RS

2-(4-mesyl-2-nitrobenzoyl)cyclohexane-1,3-dione é um herbicida seletivo sistêmico para controle de plantas daninhas, em aplicação pós-emergência nas culturas da cana-de-açúcar e milho. A mesotriona foi descoberta durante estudo para identificação dos compostos alelopáticos produzidos pela planta escova-de-garrafa (Callistemon citrinus). Do composto natural (leptospermone) foram produzidos análogos, dos quais resultou a molécula da mesotriona, com atividade 100 vezes maior. As suas principais características podem ser visualizadas no Quadro 1.

Quadro 1 – Algumas propriedades físico-químicas do mesotriona                       


Uso herbicida

É um herbicida sistémico de absorção foliar e radicular e com ação residual, para aplicação em pós-emergência da cana-de-açúcar e do milho. Na cultura do milho, é indicado nos cultivos de variedades e híbridos comerciais, nos sistemas de semeadura convencional e direta. Na cultura da cana-de-açúcar, é indicado em aplicações nas modalidades de cana-planta e cana soca, nos sistemas de colheita de cana com queima do canavial e de colheita mecanizada sem queima do canavial (conhecido também como colheita de cana-crua). É recomendado para aplicação, no controle pós-emergente das plantas daninhas eudicotiledôneas (folhas largas) e de algumas gramineas (folhas estreitas) (Quadro 2).  

Quadro 2 - Espécies daninhas controladas pelo herbicida mesotriona 

  *Produto comercial = Callisto® (480 g L-1).    

Comportamento na planta

Mesotriona é classificada no Grupo 27 (WSSA) e no Grupo F2 (HRAC). Inibe a enzima 4-hidroxifenil-piruvato dioxigenase (4-HPPD) (Figura 1). A enzima HPPD é chave na síntese de plastoquinona, e sua inibição causa o branqueamento dos tecidos novos formados. Esses sintomas resultam da inibição indireta da síntese de carotenoides devido ao fato de a plastoquinona ser um cofator enzimático da fitoeno desaturase.

Os sintomas envolvem branqueamento das plantas infestantes sensíveis com posterior necrose e morte dos tecidos vegetais, em cerca de 1 a 2 semanas. O milho e a cana-de-açúcar são tolerantes à mesotriona, devido à sua capacidade de metabolizar rapidamente o herbicida, produzindo metabólitos sem atividade herbicida, o que não ocorre nas plantas infestantes sensíveis. A mesotriona é absorvida tanto pelas raízes quanto pelas folhas e ramos, sendo translocada na planta através do xilema. 

Figura 1 – Detalhes da rota de síntese do citocromo e da clorofila.

Comportamento no solo

Mesotriona é rapidamente degradada no solo por microrganismos, primariamente a CO2. Quando presente na água sua degradação também é microbiana. 

O potencial de lixiviação é muito baixo. Mobilidade pode ocorrer em solos com pH alto, devido à baixa adsorção. Porém, nessas condições o produto fica mais disponível para a degradação, tornando-a mais rápida.   

Bibliografia consultada
Weed Science Society of America. Herbicide Handbook. WSSA (Lawrence). Edição 10, 
2014. 513p.


 

CONTATO

Entre em contato conosco

O UP-Herb – Academia das plantas daninhas disponibilizará:

  • Palestras técnicas presenciais ou online
  • Webinars
  • Cursos de curta duração
  • Treinamentos e consultoria in loco
Não utilizamos cookies próprios. Nosso site utiliza apenas cookies de terceiros essenciais e para monitoramento de acessos e estatística dos site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade.